sábado, 10 de janeiro de 2009

Bom domingo!, se fores cínico o bastante

Amanhã pela manhã, quando você for à feira ou ao açougue escolher o rango deste segundo domingão "do ano da graça" de 2009, tente não pensar no que as crianças da foto abaixo vão almoçar.
Afinal, o número de lixões onde palestinos se "abastecem" cresceu maravilhosamente nas últimas semanas.
E há bastante escombros pra molecada brincar e esquecer a fome no que restou de suas casas em
Gaza, na Palestina assolada pela fúria judaica.


Também não encharque teu coração com o sangue dos palestinos massacrados pelo “povo escolhido por Deus” (pensas que blasfemo? Ta lá na Bíblia: “Senhor Deus de Israel”).

Quando você for se conectar, evite os blogs citados abaixo. Visite páginas amenas, ou atenha-se ao Faustão, Eliana, Gugu, Fantástico e outras merdas que jorram do vídeo da sua TV.

Não se preocupe se o pai das fotos abaixo conseguiu salvar a vida do seu garoto, atingido por um bombardeio israelita.


Blogueiros contra o Inferno de Gaza

O sangue do povo de Gaza inunda a Internet. Segundo o Technorati, no domingo passado foram escritos quase cinco mil textos sobre esta guerra desequilibrada. Neste final de semana, certamente este número vai detonar.

Há uma série de blogs antenados com o que acontece na Faixa de Gaza. Vamos dar, aqui, preferência a blogueiros residentes no olho do furacão.

In Gaza é mantido por um blogueiro anônimo que escreveu na 2ª-feira, 5 de janeiro: “Uma mancha de sangue na maca da ambulância, que parece uma piscina, está próxima ao meu casaco, o médico alerta que ele pode sujar. Que diferença faz? A mancha já não me revolta como aconteceria uma semana atrás. A morte enche o ar e as ruas de Gaza, eu não posso me estressar porque isso não é exagero”.

Na mesma 2ª-feira, a jornalista Laila El-Haddad revelou a guerra psicológica do Exército de Israel sobre os palestinos: “Eles ligaram para a casa do meu pai em Gaza e o telemarketing disse: ‘O Hamas está te usando como escudo humano. O Hamas está te abandonando e se escondendo nos seus abrigos. Entregue-o agora’”, publicou Laila no seu blog A Mother From Gaza.

No domingo passado, 4 de janeiro, o blogueiro Rafah Kid contou: “Estamos sem eletricidade, sem poder chamar ao telefone, na escuridão e chove fogo. As crianças estão gritando”.

Indispensável é a leitura diária do blog Gaza Today mantido por Sameh Akram Habeeb, de 23 anos, que nasceu e vive em Gaza.


Hamas não é anjinho

O alinhamento dos cachaceiros desta nossa birosca virtual com os palestinos, não significa que a gente não queira dar um tiro também na bunda dos líderes do Hamas.

Eles cutucaram a onça com vara curta. Pior: sem vara alguma nas mãos. Dispararam uns foguetezinhos bêbados em áreas conflagradas entre Israel e Palestina, sabendo que a ira dos judeus tem pavio curto. Foram irresponsáveis no ato, e extremamente malditos no plano: a cada foguetinho vadio lançado, uma chuva de fogo israelense desabaria na cabeça dos pobres diabos palestinos.

Veja o que nos relata este blogueiro judeu de 33 anos, que prefere o anonimato: “Eles (o Hamas) preferem brigar em áreas residenciais densamente povoadas onde colocam um conjunto de armadilhas, têm uma vantagem tática e sabem que para cada civis mortos, Israel terá de enfrentar a pressão da comunidade internacional”, conta no post da 2ª-feira.

Hoje, o blogueiro não atualizou sua página, pois os judeus não fazem qualquer atividade (a não ser a religião) aos sábados.

Mas o que ele escreveu sobre o modus-operandi do Hamas é terrivelmente real.

Um mapa do Hamas foi confiscado nesta semana, e publicado no blog do Departamento das Forças Armadas de Israel. Olha aí como o Hamas escolhe para acender a tocha da desgraça em locais densamente ocupados pelo povaréu:

O mapa mostra o bairro al-Tatraa, na cidade de Gaza dividido em três áreas de funcionamento (vermelho, azul e verde). Os pontos no mapa indicam onde guerrilheiros do Hamas haviam plantado uma variedade de dispositivos explosivos improvisados, com as cores indicando o tipo de dispositivo. Outras marcas mostram as posições de atiradores próximos às mesquitas. Junto à entrada da mesquita el-Tawid, perto de Shauuda Plaza, no canto superior esquerdo do mapa está apontada a localização de um atirador e a direção do fogo. Na parte inferior central do mapa, há um posto de gasolina onde o Hamas instalou outro conjunto de explosivos que pode provocar uma destruição muito grande em todo o bairro.

Se a cambada com turbantes e conturbada do Hamas fosse realmente revolucionária, honesta em seus objetivos, este partido político entregaria armas ao povo. Daria a cada pai, mãe e filhos de família palestina um fuzil para proteger suas vidas e seus pertences. Mas, o Hamas só dá arma a gente da estrita confiança dos líderes fanáticos e manipuladores da massa bruta e brutalizada. Eles têm medo que um povo armado possa, amanhã ou depois, voltar suas miras contra líderes que não atendam às expectativas populares.

Soldado israelita vasculha casa palestina

Apenas mais um

Roberto Riberti e Anísio Barreto


Ah! se a força do mal rompe e rasga tua mente

E teu peito se envolve de medo e de horror

Se nas voltas da vida te perdes demente

E retalhas teu corpo, sem tino, sem dor.


Ah! Se arrancam teus olhos se partem teus dentes

Perdoas sem nervos, sem mágoa ou rancor

Se rasgam tua língua e o sangue não sentes

Tua mão de poeta responde:

Que és puro e que apenas te escondes, no amor.


Ah! Se o mundo hoje explode faminto e doente

Se os homens se vestem de ódio e furor

Retomas tua pena e bem docemente

Escreves um novo soneto de amor.


Ah! No fundo da vala-comum, inocente

Repousas contente nas mãos uma flor

Aos olhos do homem que luta e não mente

Não passas de apenas mais um

Não passas de apenas mais um

Não passas apenas de mais um, traidor!

Bebês em maternidade de Gaza: quantos dias até que uma bala rompa seus caminhos? – Foto: Mohammed Omer

Um comentário:

ary marcos disse...

o Americano legitima a matança e condena o terrorismo.Que cinismo filho das puta