terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Bar do Belém tem “Hall da Fama”

Se voce entrar no bar de número 246 da Rua Belém, no bairro do mesmo nome, em São Paulo, não se espante se alguém do balcão ou das mesas te causar a seguinte impressão: “Nunca vi esta pessoa, mas o rosto não me é estranho...”
Antes de você pensar que já bebeu demais, olhe para a parede oposta ao balcão. A maioria dos frequentadores daquele boteco está no painel de caricaturas feitas por Roberto Duarte, um artista que cabe direitinho na frase de Aldir Blanc: "O lar é o meu segundo bar".
Roberto Duarte é músico, publicitário e desenhista
“O estalo de desenhar meus colegas de bar veio há quatro anos”, conta Roberto, nascido há 65 anos na Mooca, mas morador veteraníssimo do Belém.
O primeiro a ganhar uma caricatura foi o “Zé” segurança do comércio vizinho à Lanchonete Clamuce, onde o painel de botequeiros está exposto. De lá pra cá, poucos fregueses escaparam do olho aguçado do experiente desenhista. Inclusive o próprio Roberto, que fez sua auto-caricatura. Hoje já são 40 desenhos.
Nenhum colega de boteco do Roberto ficou sabendo quando seu rosto iria para o painel. Roberto guarda na memória os traços do amigo, e só o desenha quando chega em casa, longe das vistas do caricaturado. “Se eu ficar olhando muito pra pessoa, ou fizer algum rascunho de modo que ela veja, estraga a surpresa”, explica Roberto, que já foi gerente de criação publicitária em multinacional.
Não é difícil o caricaturado embirrar, num primeiro momento, ao se ver no papel. “A pessoa sempre tem uma visão íntima sobre si própria, geralmente favorável. Na caricatura fica expressa a forma como eu a vejo, e ali eu exagero alguma característica dela, por menor que seja”, diz Roberto.
Mas não há uma só caricatura já feita por Roberto que tenha sido rejeitada por um seu colega de copo e de cruz.
Além de dominar o lápis de desenho, Roberto Duarte é bamba no violão. Toca todos os finais de semana no afamado Bar Brahma, na Avenida São João, e no Bar Mooca, na esquina da Rua Indaiatuba com João Batista de Lacerda. Seus companheiros de andanças pelos bares da vida são Bio (acordeon) e Daltro (violino). Mas as habilidades musicais de Roberto ficam para a próxima ocasião, em entrevista para o site e rádio-web Samba de Alambique.
Para contratar Roberto Duarte como desenhista ou como músico:
e-mail:
robjoaoduarte@hotmail.com
Fones: (13) 3473-1223 e (11) 8857-7413

Auto-caricatura de Roberto é a 1ª da 2ª fileira de baixo para cima
Localização no painel: Roberto Pintor – 1ª fileira de cima, 2º da esq. p/ a dir.João Ribeiro - 1ª fileira de cima, 3º da esq. p/ a dir.
Araújo - 1ª fileira de cima, 6º da esq. p/ a dir.
Pavão - 1ª fileira de cima, 4º da dir. p/ a esq.
Marcos - 1ª fileira de cima, 3º da dir. p/ a esq.
Pedro - 1ª fileira de cima, 1º da dir. p/ a esq.
Darcy – 2ª fileira de baixo para cima, 3º da esq. p/ a dir.
Rubicão - 2ª fileira de baixo para cima, 3º da dir. p/ a esq.
Giba – 1ª fileira de baixo, 6º da esq. p/ a dir.
Zezinho (Zé Vinagre) - 1ª fileira de baixo, 2º da dir. p/ a esq.

3 comentários:

Si Almeida disse...

Olá David, é uma honra inaugurar os comentários que, dado o tamanho da lista de amigos, serão muitos. Sou a 1ª dama e, apesar de "suspeita", fã nº 1 do Roberto e de sua arte. E quanta arte! Você não imagina. Parabéns pelo blog e pelo espaço que temos, aqui, de conhecer e comentar botequins, biritas e afins que amamos tanto. Beijos a você que espero conhecer, breve. Os beijos do Roberto serão dados tão logo ele chegue do boteco, claro!

Roberto disse...

Olá David, desculpe o atraso, mas quero agradecer a excelente matéria em seu blog envolvendo nossa pessoa e nosso trabalho. Aliás todos os assuntos ali expostos apresentam alta qualidade jornalística. Você escreve muito bem. Parabéns! Fiquei muito honrado em participar do seu trabalho e me coloco à disposição para colaborar de alguma forma, sempre que você precisar. Continue com essa nobre missão de defender a nossa bandeira (a dos botequeiros), afinal o nosso lar é um botequim, como diria Noel. Obrigado e parabéns!

David da Silva disse...

Roberto, como eu já disse à sua 1ª Dama, eu é que agradeço à boemia por ter me permitido conhecer um artista singular feito você. Logo vou publicar a segunda parte da nossa entrevista.
Não é todo dia que encontramos matéria prima tão boa sobre a qual escrever.
Abração pra voce e a Simonne!