terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Com a palavra, os companheiros do "hômi"

Que o presidente Lula é cascateiro, todos sabemos – mesmo os que o defendem e/ou idolatram por motivos interesses diversos.
Agora quem vem a público apontar mentiras na biografia oficial do “hômi” são os próprios companheiros de Lula no tempo do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo.
No filme Lula, o Filho do Brasil, o personagem “Feitosa” é na vida real o sindicalista aposentado Paulo Vidal. Ele presidiu os metalúrgicos de São Bernardo por seis anos (1969 a 1975) na gestão anterior à de Lula. Os meios sindicais apontam Paulo Vidal como “amigo dos militares”, um interventor. O próprio Paulo Vidal introduziu Lula no sindicato em 1969, dando-lhe o cargo de diretor social. Foi neste posto que ele conheceu biblicamente a então jovem viúva Marisa Letícia. Dona Marisa revela que Lula, no interesse de namorá-la, segurou um documento sem o qual ela não conseguiria receber a pensão do marido morto. Fabricou dificuldade para vender facilidade à viuvinha. Também como diretor sindical, Lula ameaçava cortar a assistência médica dos operários que não comparecessem às reuniões convocadas pelo seu chefe Paulo Vidal.
Sobre a passagem do filme onde Lula se elege presidente do sindicato “na marra”, Paulo Vidal diz: “
É mentira! Eu fiz o Lula presidente do sindicato. Não teve essa história dele entrar na minha sala e dar murro na mesa”. Paulo Vidal resume sua opinião sobre o filme: “É uma baita mentira que não tem cabimento”.
Outra grande mentira do filme cai por terra nas palavras de Djalma Bom, braço direito de Lula no comando das greves do ABC na virada dos anos 1970-80. Quando Lula, o Filho do Brasil é preso e dorme no chão da cela, Djalma não permite a manipulação: "Tem muitas diferenças entre a história real e o filme. A prisão, por exemplo. Eu fiquei preso com o Lula durante aqueles 31 dias. Não teve nada daquilo de todos no chão. Havia beliches”.
Lula ficou no Dops entre 19 de abril a 20 de maio de 1980. Teve tratamento VIP na cadeia. O então delegado Romeu Tuma permitiu que ele saísse do xadrez pra visitar a mãe no hospital, e ir ao entêrro dela. Nem dor de dente Lula sentiu na jaula; Tuma chamava dentista pra atendê-lo a qualquer hora da madrugada.
Já imaginou você na prisão, e ir ler jornais e revistas na sala do delegado? Lula ia.
No vídeo abaixo o próprio Lula conta como foi sua temporada na cadeia. E como tentou até furar a greve de fome combinada com os companheiros.
E como sempre, termina com uma bravata. Veja com seus próprios olhos que a terra há de...

Por ter passado 31 dias “difíceis” na carceragem do Dops, Lula recebe do Govêrno Federal (além dos R$ 11.239,24 de salário como presidente da República) uma indenização de R$ 8.862,57 por mês. Ô cadeinha boa, nénão?

5 comentários:

Abud disse...

Ridículo teu texto e fascista assim como seu Blog. Bem DEM esses comentários.

Maitê disse...

Lamentável!

David da Silva disse...

Hugo Abud: consultando nossas garrafas, sinto não termos bebida que cure histeria idólatra.
Aproveitando-te o sobrenome (abu, em árabe=pai) te recomendo uma leitura plácida de Lucas capítulo 21 vers. 34.
Maitê: que maravilha de concisão com múltiplos significados!!!

BAGDASAMBA disse...

Alo David aqui é o Bagda, em se tratando do Lula tudo é possivel, voce leu o artigo do Cesar Benjamin, na folha de São Paulo de 27/11/09. Ai vai o link, leia e depois reflita como é que pode ...


http://64.233.163.132/search?q=cache:R_IYyqND-OYJ:blog.opovo.com.br/blogdoeliomar/mais-uma-novela-em-torno-de-lula-e-seu-passado/+e+lula+disse+eu+n%C3%A3o+vivo+sem+buceta&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br&client=firefox-a

David da Silva disse...

Olhaqui, meu bom amigo Bagdá.
Este "causo" que o Cesar Benjamin contou é pra lá de estranho. Primeiro o Paulo de Tarso disse que houve o almoço, mas que o Benjamin não estava nele, e nem foi falado nada sobre tentativa de estupro. Depois o Silvio Tendler diz que houve o almoço, que o Benjamin estava lá, e que Lula contou o "causo" em tom de piada inventada.
Quer saber? Eles que se f..., nénão???