sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Poeta reencontra seus versos em feira de livros

Poeta Valter das Virgens vai contar ao público como nascem os seus versos
Foto: Divulgação
Faz 10 anos que o poeta Valter das Virgens não se encontra com a sua própria poesia. Com uma forte atividade literária entre 1996 e 2003, ele cruzou a última década longe dos versos. Dedicou-se exclusivamente ao trabalho de funcionário da Prefeitura de Taboão da Serra. O reencontro do autor com a sua obra vai se dar na tarde de sábado, 2 de novembro, na Feira de Livros realizada no Cemur.
Conheço Valter das Virgens desde 1993, quando ele voluntariamente levava releases da prefeitura local para o jornal Movimento, que dirigi por dois anos. Quando se formou técnico em Contabilidade, ele tornou-se, mesmo, funcionário público, cargo que ocupa há 16 anos.
Quando fui editor do jornal dos Funcionários da Prefeitura de Taboão da Serra, Valter das Virgens tinha ali a sua coluna “Cantinho Poético”.
Eu sempre o provocava dizendo que escrever era obrigação que ele trazia do berço. Afinal nasceu numa cidade que pertence à comarca de Bela Vista do Paraíso (PR). “Quem nasce num lugar com este nome, só pode virar poeta”, brincávamos.
Com 40 anos completados em 7 de agosto, Valter das Virgens venceu vários concursos poéticos na virada da década de 90 para o início dos anos 2000. Ainda não lançou livro próprio. Mas tem obras suas em antologias da Litteris Editora, do Rio de Janeiro, publicadas em 1996 e 1997, e na antologia poética resultante de Festival Literário de Piracicaba, em 2001.
Representou Taboão da Serra no Mapa Cultural Paulista naquele período.
Os autores que mais marcaram sua entrada para o universo poético foram Drummond, Vinícius de Moraes, Paulo Leminski e, principalmente, Augusto dos Anjos.
Na conversa com o público na tarde de amanhã, o poeta vai falar sobre o seu método de criação, e outros aspectos da sua produção.
Quem praticamente “empurrou” Valter das Virgens para este evento, foi sua colega de repartição pública, Ieda Pereira. “Assim que eu soube que a Feira de Livros ia abrir espaço para um escritor falar da sua obra, sugeri ao organizador que chamasse o Valtinho. Ele não pode simplesmente deixar de lado tudo o que já escreveu”, diz a amiga do poeta.
Caso retome os versos, o autor pensa em escrever sobre os levantes populares que vêm sacudindo o Brasil desde as jornadas de junho deste ano.
Nada como um encontro literário em pleno Dia de Finados, para devolver à vida a poesia que faz tanto bem à alma de todas as gentes.
I Feira de Livros – Diversidade e Acessibilidade
CEMUR – Praça Nicola Vivilechio, s/nº
Entrada Gratuita
Dia 02 de novembro, sábado.
Manhã - Exposição de livros em braile
14h30 - Oficina de Libras - Wilson Santos
16h – Encontro Literário com Valter das Virgens
Dia 03 de novembro, domingo.
10h30 - Apresentação do Coral CIADEVA
Realização: Prefeitura de Taboão da Serra (Secretaria de Cultura e Turismo)

3 comentários:

Brazza Pizzaria disse...

Grande Valtinho, grande lição de vida deste cara que é sensacional!!! Parabéns!! Elton

POETAO SMA disse...

GRANDE WALTINHO POETA DA PMTS, MUITO SUCESSO MEU AMIGO, ALÉM DE TALENTOSO NA DICONT VAI BRILHAR MUITO NOS POEMAS.

Anônimo disse...

e um grande prazer ter um amigo e colega de prefeitura com uma sensibilidade tal para a poesia, depois então da pós em gestão publica e mais sucesso ainda pois também somos colega de faculdade parabéns Valtinho você e um guerreiro e merece todo o sucesso do mundo.