terça-feira, 17 de novembro de 2009

CQC "descobre" Taboão da Serra

Agora que os caras aprenderam o caminho, preparem-se para novos e hilariantes registros do caos nosso de cada dia.

6 comentários:

Robson disse...

Parabéns pelo post, isso é para ver como age a administração que aí está. Que episódio lamentável, um secretário mentindo em cadeia nacional, seria mais fácil assumir a incopetencia dessa administração que aí está e tentar corrigir o erro, não ficar mentindo e tentar explicar o inexplicável, lamentável...

cremilda disse...

Vem de fora o especialista dizer que não adianta avaliar a qualidade do ensino no Brasil se não for para tomar nenhuma medida. Isso a gente sabe...O Prof.Santiago Cueto, é especialista em educação na América Latina, diz no portal da Globo o óbvio.
Pior que fazer avaliação é pagar por uma avaliação da qual todos sabem o resultado.
Os alunos do Brasil e especialmente de São Paulo não aprendem o mínimo. Está muito mal em relação aos outros países também....Mal aqui e lá fora. Qualquer medida comparativa o Brasil perde longe...
O especialista comete um erro grave, quando declara que salário não resolve problema da má qualidade do ensino, mas que um bom salário atrai os melhores funcionários. Acho que não contaram para ele que aqui em São Paulo o melhor sálário pode até provocar o interesse de bons profissionais, se não houvesse um sistema de pistolão para se contratar um professor. Ele é contratado com o Quem Indica e depois faz um concurso e de forma misteriosa, só ficam os indicados. Os profissionais de fora, e bons, continuam de fora.
Não tendo um QI forte, nada feito. Temos a volta triunfal do pistolão na escola pública.
Os dirigentes Regionais são cabos eleitorais dos deputados e recebem verba que distribuiem como querem...
Fiscalização nenhuma. Fiscalização teria que ser feita por quem paga a conta. Os pais.
Exatamente os pais são alijados do processo.
Um pais onde a verba é suficiente para uma escola de primeiro mundo tem uma escola falida mergulhada na corrupção.
Tanta verba que sobra bilhões, onde o governo divide entre os professores.
Uma escola miserável, verdadeiros escombros e sobra um bilhão de verba.
Essa espetacular "sobra" vai para premiar professores com nome de bônus.
Uma gratificação....Agradecendo o quê ???
PREMIANDO A NULIDADE....

Anônimo disse...

"Manifestante" que conduz reportagem do CQC não mora no bairro atingido

A reportagem que foi ao ar no Programa CQC da Rede Bandeirantes, na última segunda-feira, 16, que mostrou o drama das famílias atingidas pelas enchentes que caíram em Taboão da Serra no final de outubro, pode ter tido motivação política. Tudo isso, porque o principal "manifestante" que conduz a reportagem, juntamente com o repórter Rafael Bastos, não é morador dos bairros atingidos pelas chuvas. Uma informação exclusiva aponta que o rapaz reside no Parque Monte Alegre e nunca "sofreu" ou passou por uma enchente. Sua ligação mais próxima com a causa seria, possivelmente, um primo que mora na região afetada.



De acordo com uma fonte ligada ao governo, o "manifestante" é filho de uma ex-candidata a vereadora na cidade e estaria "ligado" a um grupo de oposicionistas ao prefeito Evilásio Farias (PSB). A região mostrada na matéria tem enchentes constantes e a canalização de parte do córrego Póa, que corta a região, está em fase final de conclusão, garantiu a prefeitura. Independentemente de ter sido conduzida ou não, a Secretaria de Manutenção informou que manterá a limpeza nos córregos e piscinões e respeitará o prazo de 15 dias estipulado na reportagem.

David da Silva disse...

"Anônimo" nem deveria ser publicado, mas como repete a versão oficial defecada pelo gabinete, vamos a ele:
1 - "o manifestante nunca "sofreu" ou passou por uma enchente." escreve o imundo anônimo. A Prefeitura também negou a isenção de IPTU para moradores da área alegando que eles não sofriam enchentes.
2 - Continua o sórdido não identificado: "o manifestante é filho de ex-candidata ligada a oposicionistas". Mentira. O rapaz é filho de ex-candidata de grupo político vinculado ao atual prefeito.

anderson siqueira disse...

É triste ver a antiga estratégia de tentar desqualificar o acusador, na esperança de minimizar algum problema. (uma "tecnica politica" usada mil vezes antes)
E dai que o cara não mora no bairro? Por mim ele podia morar em Marte, desde que fosse a voz e a expressão de uma população que sofre.
Talvez, tentar encontrar uma forma para que a população não sofra, (ou sofra menos) com os prejuizos das enchentes pode ser mais recompensador, do que ficar encostado bebendo e bolando grandes estratégias politicas.
Por que não param só um pouquinho com joguinhos politicos-intelectuais e assim só por um pouquinho, tentam resolver os problemas e parecer, só por um pouquinho, que alguem se preocupa com esse povo.

Anônimo disse...

Concordo c/ o Sr. Anderson.

M.Assunção