domingo, 8 de janeiro de 2012

Protesto agitou a praça no Pirajuçara

Menino na praça Luiz Gonzaga observa protesto contra a tarifa do ônibus municipal - Foto: David da Silva
Fotos: David da Silva
Tendência do movimento é evoluir para a exigência do bilhete-integração nas linhas dos ônibus-circulares

Em manifesto entregue à população na tarde deste sábado, jovens da região do Pirajuçara protestaram contra o alto custo da passagem do ônibus municipal (circular), e a falta de integração entre as linhas.
Os manifestantes também esclareceram à população os abusivos aumentos da tarifa nas gestões do ex-prefeito Fernando Fernandes e de Evilásio Farias, que cumpre o último ano do seu segundo mandato. “Questão do valor não é um problema atual”, detalha o folheto distribuído.
Em 1997, Fernando Fernandes assumiu a prefeitura com tarifa de transporte coletivo municipal a R$ 0,70. Quando entregou o poder em 2004, passageiros pagavam R$ 1,70.
O valor quase dobrou na administração evilasista, e está a R$ 3,00.
“É um valor injustificável em face do serviço ruim oferecido à população”, afirma o documento.
A movimentação da juventude ainda está tímida, devido ao período de férias.
Não é à toa que inquilinos do poder escolhem o mês de janeiro para aumentar impostos e taxas públicas. Mas a mobilização pode ganhar fôlego quando os jovens voltarem às suas salas de aula.
A integração entre as linhas de ônibus que circulam internamente no município já é bandeira de luta da juventude que está se articulando pelas redes sociais da internet.
Para Alexandre Pereira Alves, um dos idealizadores do ato público, “foi bacana o evento, conseguimos chamar a atenção e creio que foi o lançamento de uma semente ... e essa semente ainda vai dar muitos frutos! Valeu!”.

“... a importância de uma coisa
não se mede com fita métrica
nem com balanças ...
Que a importância de uma coisa há que ser medida
pelo encantamento que a coisa produza em nós.”
Manoel de Barros







6 comentários:

Anônimo disse...

puxa vida temos a tarifa mais cara do pais,onde vamos chegar,tds os impostos e tarifas estao aumentando,caramba onde vai chegar tudo isso?? Apoio aos manifestantes!!

ANTONIO CARLOS SOUSA SANTOS disse...

LEONARDO COLETA ASSINATURA DE ABAIXO ASSINADO E PROPONHA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DE TABOÁO DA SERRA PROPOR AO JUDICIÁRIO PROVIDÊNCIA PARA QUE SEJA VALOR DE PASSAGEM DE ONIBUS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE NOSSA CIDADE COBRADO VALOR JUSTO.
OBRIGADO
ANTONIO CARLOS SOUSA SANTOS
CONHECIDO SOUSA SANTOS.

Arthur Vinícius disse...

Muito bonita a movimentação, pessoal. Parabéns.

Nós aqui em Belo Horizonte estamos sofrendo com esse abuso no transporte público há uma década já também.

Será um prazer dialogar com vocês, entrem aqui:
http://www.facebook.com/pages/N%C3%A3o-ao-aumento-das-tarifas-de-%C3%B4nibus/204005549689387

Um abraço,
Arthur

Sérgio Landi D Serra disse...

Sousa Santos Mandou Bem com sua idéia!!!!
David da Silva,ajuda com seu Blog,Nesta idéia de Abaixo Assinado!!!!!

Anônimo disse...

Concordo plenamente, é um abuso muito grande pagar R$ 3,00 em um percurso tão pequeno, e em ônibus sempre lotado, apoio totalmente os manifestantes.

Stocker disse...

"O aumento pode começar a valer já a partir da meia-noite do próximo domingo (22), de acordo com o presidente do Grande Recife Consórcio e Transporte, Nelson Menezes. Atualmente, os usuários pagam R$ 2 pelo anel A, que é o mais utilizado. Caso seja efetivado pelo Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) o reajuste de 17,2%, o valor da passagem será de R$ 2,35. Se o aumento aprovado for de 6,5%, o anel sobe para R$ 2,15"

Esta matéria do G1, que mostra o protestos de moradores de Recife sobre o aumento da tarifa no transporte coletivo da capital pernambucana, é uma prova de que Taboão cobrar o valor de R$ 3,00 é abusivo. Lá, se tiver o aumento defendido pelas empresas de ônibus, chegará no máximo a R$ 2,35 e numa cidade de 22 quilometros quadrados, a tarifa chega a R$ 3,00. Até parece que em taboão da serra há poucos passageiros para justificar robusto valor. Até quando os empresários do transporte coletivo vão colocar nas mesas de negociação seus superinteresses pessoais e mandar a fatura para o sofrido usuário do transporte público que não aguenta mais pagar, pagar, pagar e só receber péssimos serviços. caso as empresas provaram que este valor é necessário para cobrir suas estruturas, não seria coerente a prefeitura subsidiar uma parte deste custo? É isso... como dizia Raul seixas: "é pena não ser burro... não sofreria tanto!