segunda-feira, 2 de julho de 2012

Políticos deixaram Taboão perder território com a emancipação

A classe política de Taboão da Serra está, mais uma vez, polarizada para escolher o próximo prefeito. Será a 13ª eleição no município que já teve 7 homens e uma mulher no seu comando – 4 prefeitos foram reeleitos.
Se sabem digladiar-se na briga pelo poder, políticos taboanenses jamais aprenderam a lição mais polêmica da nossa história – o verdadeiro limite geográfico onde a cidade se originou.
À direita da foto o marco divisório frente à Chácara do Jockey
Foto: David da Silva
Um mapa do município de São Paulo, datado de 1951, traz o nome “Taboão” na região cortada pelo córrego Itararé, entre o bairro Ferreira e a Vila Sônia, na capital paulista. O córrego passa ao lado do comércio atacadista Assai, cerca de 500m da futura estação Vila Sônia do Metrô – veja abaixo.
Na época em que o mapa foi desenhado, Taboão era um bairro paulistano.
Num traçado aproximado ao da atual rua Luiz Migliano, havia a Estrada do Taboão, ligando os altos do Morumbi com a Estrada de M’Boy, hoje avenida Francisco Morato.
Em 1953 veio o primeiro golpe contra a extensão original de Taboão. Ele foi incorporado como bairro de Embu, para em dezembro do mesmo ano passar a distrito de Itapecerica da Serra.
Seu território ficou encolhido para trás da margem esquerda do córrego Pirajuçara.

David e Waldemar no seu aniversário
de 80 anos - Foto: Eduardo Toledo
Omissão histórica
O jornalista Waldemar Gonçalves, falecido em 2007 aos 85 anos, defendia que o limite de municípios entre Taboão da Serra e São Paulo deveria ser no marco divisório fincado em frente à Chácara do Jockey, bairro Ferreira.
‘Seo’ Waldemar fez incansáveis buscas no Instituto Geográfico e Cartográfico do Estado de São Paulo para confirmar sua teoria.
O mapa de 1951, que encontrei na internet na última 5ª-feira, é ainda mais generoso com o pioneiro jornalista de Taboão da Serra.
A omissão dos políticos com as terras usurpadas do município é mais velha que a criação da cidade.
Os dois vereadores distritais (Oswaldo Cesário de Oliveira e José Martins) que representavam Taboão na Câmara de Itapecerica, não integraram a comissão pela nossa emancipação. A criação do município foi aprovada pela Assembléia Legislativa em 1958. O primeiro prefeito tomou posse em 1960.

Detalhe do mapa da Cidade de São Paulo em 1951.
Escritos em vermelho pontos de referências atuais.
Fonte: Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano da Cidade de São Paulo

3 comentários:

Ronaldo Dias disse...

Muito interessante essa matéria, mas gostaria de fazer uma correção, a antiga estrada do Taboão é atual, Av. Dr. Luiz Migliano, fui morador dessa estrada na minha infância até o inicio da década de 80 essa era a denominação desta via.Faço uma sugestão ao amigo jornalista e seus leitores visitem o site www.geoportal.com.br e façam uma viagem no tempo, é um google earth da decada de 50 bem mais atualizado que seu Guia Caro David.

David da Silva disse...

Obrigado pela colaboração, amigo Ronaldo Dias. Já fiz a correção. Quanto à foto aérea indicada por vc, ela foi tirada nove anos depois do desenho do mapa da postagem. Valeu, Ronaldo!

MARCIA SOFIA DE FIGUEIREDO LIMA disse...

Interessante relembrar a história da cidade. A cidade também poderia construir um museu em memória a sua história. Gostei da reportagem!!