segunda-feira, 31 de março de 2014

Taboão da Serra perde o ator e diretor Mário Pazini

Foto: Facebook
Faleceu na tarde desta 2ª-feira, 31 de março, o ator e diretor teatral Mário Pazini.
O artista iria completar 52 anos de idade no próximo dia 26 de novembro.
Ele estava internado no Hospital Nove de Julho, e foi vítima de câncer na pleura e suas consequências.
Há poucos dias, a atividade de Mário Pazini e o Teatro Clariô foi contemplada com o Prêmio Governador do Estado.
Um dos idealizadores e dirigentes do Espaço Cultural Clariô, Mário Pazini teve uma trajetória histórica de meio século na arte e na cultura de Taboão da Serra.
Descendente de uma família que dá nome à região mais antiga da cidade, Mário Pazini tinha ligação umbilical com a Encenação da Paixão de Cristo no município.
Sobre ele eu escrevi no ano de 2009: “Em termos de Paixão de Cristo, ninguém pode com a vida do ator e diretor Mário Pazini. Ele fez o papel de Menino Jesus antes mesmo de nascer. Sua mãe estava grávida dele quando fez a Virgem Maria na  Paixão de Cristo em Taboão da Serra em 1962. E seu pai interpretou o Cristo naquela mesma apresentação”.
Mário Pazini interpretou o personagem central da Paixão de Cristo nos anos de 2000, 2002, 2003, 2004, 2005 e 2006.
Em 2009, Mário Pazini rompeu com a organização da Paixão de Cristo em Taboão da Serra, junto com um grande número de atores e membros da equipe técnica - veja os motivos aqui

Além da paixão
A figura humana e cultural de Mário Pazini não se prendeu apenas à encenação da Paixão de Cristo na cidade.
Depois de romper com a apresentação oficial do evento religioso em Taboão da Serra, Mário Pazini criou um dos movimentos mais vitoriosos do teatro alternativo da Grande São Paulo. 
Aliado à sua companheira Naruna Costa, e juntamente com Naloana Lima e Martinha Soares, o Espaço Clariô incendiou o cenário teatral da periferia paulistana.
Foram vencedores do prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro em 2011, com o espetáculo Urubu Come Carniça e Voa, do poeta Miró da Muribeca.
Em 2008, com textos do escritor Marcelino Freire, Marinho Pazini adaptou e dirigiu o drama teatral Hospital da Gente. A peça percorreu o Estado de São Paulo, e também o norte e nordeste do Brasil – Rondônia e Recife (PE), respectivamente.

Mário Pazini pautou sua caminhada artística em nunca se curvar aos poderosos de plantão.
Em 2013 o grupo Clariô ganhou o Prêmio Governador do Estado na categoria inclusão social.

ATUALIZAÇÃO - O corpo de Mário Pazini foi sepultado às 16h do dia 1º de abril no Cemitério da Saudade, em Taboão da Serra.

3 comentários:

Ana Beatriz disse...

Mesmo com pouco tempo para nos conhecer e pelas poucas palavras que trocamos, o respeito surgiu e a admiração brotou naturalmente. Suas lições vão ficar guardadas e serão multiplicadas. Vai ficar um tremendo vazio no teatro de guerrilha mas de algum lugar você continuará dirigindo o espetáculo. Vá com Deus Marinho, obrigado por tudo.

J.W.Costa - Um Passageiro no Trem da Vida disse...

Vá em paz meu amigo!
Agora você estará ao lado daquele a quem representou tão bem nesta vida terrena.

Anônimo disse...

Em 02.abril.2014 o blog recebeu a seguinte mensagem de ALOISIO ALVES:
O Espaço Clariô, ficou um pouco escuro. Porém, no céu uma luz brilhou.
O seu olhar na foto, parece já buscar o infinito e a leitura labial, a assobiar a " Ave Maria" de Gounod.
Filho da Virgem Maria o menino Jesus ainda no ventre, traçava o destino de um grande Artista que cumpriu sua missão com dignidade e coragem. Fará agora apresentações celestiais . Os palcos de Taboão da Serra e do Brasil não mais terão essa figura ilustre, que lutou e buscou, bravamente, a cultura para o nosso povo.
Fique com Deus para sempre.
Aloisio Alves