sábado, 13 de junho de 2009

São Paulo. De Piratininga e das prostitutas

Pouco ou nada se publicou sobre o 2 de junho ser o Dia Internacional da Prostituta.
A “profissão mais antiga do mundo” sempre rolou brava e solta em São Paulo. 

Já em 1819 o pesquisador-viajante frances Auguste Saint-Hilaire registrou: 

“... logo após o por do sol se veem nas ruas [de São Paulo] muito mais pessoas do que durante o dia; ficam as mesmas repletas de homens e de mulheres que andam à procura de aventura.” 
(...) 
“Em nenhuma parte do mundo por mim percorrida vi tamanho número de prostitutas”.
Saint-Hilaire era botânico de profissão. 
O que não o impediu de espantar-se com tamanha quantidade de “trepadeiras” aqui em Sampa...
Em outro trecho do seu livro Voyage dans les Province de Saint Paul et de Sainte Catherine (1851), o pesquisador francês anota o meretrício integrado à paisagem urbana paulistana, extensão boêmia da fervilhante atividade diurna: 


“As pessoas do campo vêm cada dia vender seus gêneros aos comerciantes da Rua das Casinhas [atual Rua do Tesouro, no centro velho de São Paulo, perto da Praça da Sé] – incluindo farinha, toucinho, arroz, milho e charque – num congestionamento de escravos, rurícolas, tropeiros de mulas com seus animais, os quais ao anoitecer abrem espaço a nuvens de prostitutas de categoria inferior”.

4 comentários:

Flávia D'Álima disse...

Nossa, não sabia que o 2 de Junho é dia das prostitutas. Poxa vida a gente não ouve falar por aí, as lojas não se animam para vender mais (e deviam já pensou uma campanha específica), nem tem propaganda "emocionante" na TV enfim...

David da Silva disse...

Pois é, minha atriz magnífica.
As chefias de pauta menosprezam as meretrizes pra fazer auê com caravana de chibungos.
Mas as valentes damas da noite terão sempre uma cadeira vazia e um copo cheio pra elas aqui no nosso boteco imaginário.

Mariana disse...

não sabia que elas também tinham seu dia... é a primeira vez que o escuto...
uma vez estava em bares em sao paulo e achei que uma pessoa falava disso...

dalva disse...

afinal é uma profissão elas vendem o que é dela de direito compram quem quer e viva o dia delas gente....